Laboratório de Imigração, Migração e História Ambiental
  • Lançamento do livro História Ambiental em rede

    Publicado em 27/08/2022 às 2:47

    O LABIMHA lança a obra História Ambiental em rede: novos temas e abordagens, organizada pelos pesquisadores Eunice Sueli Nodari, Samira Peruchi Moretto, Débora Nunes de Sá e João Davi Oliveira Minuzzi.

    “O livro representa um legado social intangível, o que nos desperta para os argumentos do economista e sociólogo mexicano Enrique Leff acerca da complexidade, amplitude e diversidade do saber ambiental – fundado na indissociável relação entre sociedade e natureza. Isso porque, cada vez mais a relação entre os humanos e o mundo natural se expande em abordagens que desafiam o exercício histórico. E a dilatação dos conteúdos, abordagens e engajamentos entre as esferas do saber e o campo ambiental são cada vez mais dinâmicos e entrelaçados”. Por Sandro Dutra e Silva, na apresentação da Contracapa da obra.

    Agradecimento especial para a Univale e a UFFS pelo apoio financeiro.

    A obra já está disponível, em formato e-book, no link: https://www.acervuseditora.com.br/historia-ambiental-em-rede-novos-temas-e-abordagens

     

     

     


  • LABIMHA Convida – Concepção de Natureza em Fritz Plaumann

    Publicado em 12/05/2022 às 19:27

    O LABIMHA convida para a palestra do Prof. Dr. João Klug: “Concepção da natureza em Fritz Plaumann”, dia 20 de maio às 14h no Auditório do Bloco F do CFH, 7° andar, na UFSC!
    Vamos, que além da palestra, vai ser lindo nos encontrarmos pessoalmente.


  • Lançamento da tradução do livro “A Origem da Vida” de Fritz Plaumann

    Publicado em 11/05/2022 às 11:53

    No dia 26 de abril, o Prof. João Klug lançou a tradução do livro “A Origem da Vida” do cientista e entomólogo Fritz Plaumann na aula Magna do Programa de Pós-Graduação em História da UFFS.

    “Natural da Prússia Oriental, região da atual Lituânia, Fritz Plaumann, chegou ao Brasil, em 1924. Na pequena comunidade de Nova Teutônia, no interior de Seara, Oeste de Santa Catarina, ao longo de 60 anos de trabalho, dedicou-se à pesquisa científica, catalogando cerca de 80 mil exemplares de 17 mil diferentes espécies de insetos. Destas, pelo menos 1.500 eram desconhecidas da ciência, recebendo em alguns casos o nome do entomologista.
    O resultado da ação do cientista, deu origem ao Museu Entomológico Fritz Plaumann, considerado a maior unidade entomológica da América Latina, inaugurada em outubro de 1988.
    Reconhecido mundialmente pela autonomia nas pesquisas de invertebrados, o cientista conquistou o prestígio de importantes cientistas como o brasileiro Costa Lima, o americano Charles Alexander, além do austríaco Karl Sched, os quais fortaleceram e evidenciaram a trajetória de Plaumann na região Oeste de Santa Catarina.
    Ao longo da carreira científica, recebeu diversas condecorações, incluindo a Medalha do Mérito Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina, obtida em 1995. Anos mais cedo, em 1991, recebeu a mais alta condecoração do campo da ciência da Alemanha: a Grã-Cruz do Mérito Científico. Também foi considerado pelo presidente da Californian Academy of Science o maior colecionador de insetos da América Latina do Século XX. Tendo obtido em 1992, a Medalha do Mérito Anita Garibaldi do governo de Santa Catarina.”
    Fonte: Rádio Chapecó

     


  • Dos bons vinhos ao vinho bom e o futuro da vitivinicultura

    Publicado em 03/05/2022 às 0:08

    Carla P. V. da Rocha, pesquisadora do Labimha e integrante do projeto: Da terra à mesa: uma história ambiental da vitivinicultura nas Américas, escreveu “Dos bons vinhos ao vinho bom e o futuro da vitivinicultura” para o site da Slow food sobre a realização da 1ª Feira Slow wine, evento voltado para vinhos naturais, orgânicos e biodinâmicos, que ocorreu no final do mês de março de 2022, na cidade de Bolonha (Itália). O texto faz uma reflexão sobre a vitivinicultura atual, marcada pelo acirramento das problemáticas ambientais, e também aborda perspectivas futuras, indicando a necessidade do implemento de práticas mais sustentáveis nesse campo.
    O texto completo está disponível em: https://slowfoodbrasil.org/2022/05/dos-bons-vinhos-ao-vinho-bom-e-o-futuro-da-vitivinicultura

     


  • XIX Encontro estadual de História ANPUH-SC

    Publicado em 09/04/2022 às 0:16

    O LABIMHA convida a todos e todas a participarem do XIX encontro da Anpuh/SC, realizado entre os dias 22 a 26 de agosto na Universidade d0 Estado de Santa Catarina (UDESC) em Florianópolis. Estendemos o convite para participarem especialmente do ST 9 “História Ambiental e estudo das globalidades”, coordenado pelas Professoras Samira Peruchi Moretto e Eunice Nodari, que compõem nosso laboratório.

    O ST 9 traz um tema de urgência global que direciona o olhar para os negacionismos e políticas voltadas a degradação do meio ambiente. O convite é para refletir a respeito do impacto dos problemas socioambientais, como “doenças, epidemias, pandemias, mudanças climáticas, enchentes, tornados, entre outros – que foram catalisados por atos de degradação e não preservação/conservação dos recursos naturais”.

    Por isso, aqui podemos reunir as pesquisas que abordam “as relações entre História e meio ambiente, agrupando trabalhos que discutam as concepções, atitudes e atividades humanas na transformação da paisagem, como os seres humanos alteraram o mundo rural e urbano e, finalmente, as consequências dessas alterações para as comunidades naturais e humanas. Salientam-se ainda a importância de estudos relacionados aos movimentos migratórios humanos e da flora/ fauna, os processos de ordenamento sanitário e de saúde pública, os estudos relacionados aos aspectos históricos, demográficos e ambientais na formação dos territórios. A análise das relações com as comunidades tradicionais e a formação de identidades regionais, nacionais e transnacionais também fazem parte deste escopo”.

    Maiores informações no site do evento


  • II Encontro Virtual de Grupos de Pesquisa e Laboratórios de História Ambiental do Brasil

    Publicado em 03/12/2021 às 12:41

    É com grande alegria que o LabHeN – UFRJ convida vocês para o II Encontro Virtual de Grupos de Pesquisa e Laboratórios de História Ambiental do Brasil, que será realizado nos dias 13, 14 e 15 de dezembro.

    Neste ano, teremos como tema “Cidades, Desastres Ambientais e Antropoceno” e contaremos com mesas de debate onde integrantes de diversos grupos e laboratórios do país apresentarão suas pesquisas. Será um ótimo momento para conhecermos como os estudos em História Ambiental estão trabalhando as problemáticas relacionadas à conjuntura de mudança climática que vivemos, além de colocarmos em diálogo esses trabalhos.

    O evento será totalmente online e gratuito, com transmissão pelo nosso canal do YouTube, então já se inscreva lá! Também teremos a emissão de certificados para participantes, não sendo necessário inscrição prévia. Fique de olho nas nossas redes, pois em breve divulgaremos o cronograma completo do evento.

    Esperamos vocês!

     

     


  • Defesa de Tese de integrante do LABIMHA:

    Publicado em 30/11/2021 às 0:15

    Convidamos à todos e todas para Defesa de Tese de Jacqueline Vasconcellos, intitulada Fios d’ água: burburinhos às margens do Rio Doce em Governador Valadares – MG. Dia 01 de dezembro às 14h. Para obter o link de acesso, envie um e-mail para: ppghich@contato.ufsc.br
    Participe!


  • Chamada para publicação “História Ambiental, Migrações e Globalidades”

    Publicado em 03/11/2021 às 21:37

    A História Ambiental oferece novos caminhos para pensar a História, como também novas formas de pensar as relações dos seres humanos com o meio natural. O estudo do meio natural pelo viés da História Ambiental tem sua relevância redimensionada por outras questões transversais como: as fronteiras e seus espaços de conflitos; a biodiversidade; o patrimônio que resulta das múltiplas relações entre natureza e cultura; entre outros. Salientam-se ainda a importância de estudos relacionados aos movimentos migratórios humanos e da flora e fauna, os estudos relacionados aos aspectos históricos, demográficos e ambientais presentes na formação dos territórios. Os problemas socioambientais contemporâneos, as propostas de ações de sustentabilidade, as doenças e pandemias, assim como, as mudanças climáticas são alguns dos temas relevantes em escala global e que propiciam estudos no campo da História Ambiental -que se propõe a abrigar pesquisas com essas discussões. A presente proposta receberá artigo, traduções, entrevistas e resenhas que abordem como tema de pesquisa: as (i)migração humanas, vegetais e animais; os processos de colonização; as ações de sustentabilidade e de justiça ambiental; as mudanças climáticas;  as doenças e as relações com o meio natural; as espacialidades (spatial history), assim como os demais tema elencados acima – sob uma perspectiva de História Global.

     

    Proponentes:  Profa. Dra. Eunice Sueli Nodari (UFSC) e Profa. Dra. Samira Peruchi Moretto (UFFS)

    Encaminhamento de trabalhos: até 30 de novembro de 2021.

     

    Publicação: janeiro de 2022.

     

    Diretrizes para submissão: https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/FRCH/about/submissions


  • Chamada para publicação

    Publicado em 03/11/2021 às 21:32

    História, ciência e modernização da agricultura na América Latina

    Organizadores:

    Claiton Marcio da Silva (UFFS / Rachel Carson Center), Roberta Biasillo (Instituto Universitário Europeu, Florença, Itália), Rômulo de Paula Andrade (Casa de Oswaldo Cruz)

    4 de janeiro de 2022

    A agricultura e a pecuária, de uma forma mais ampla, não podem ser reduzidas à ideia de atividades voltadas para a sobrevivência humana. Além disso, especialmente a partir do século 19, a agricultura também foi vista por governos, cientistas ou agricultores como uma ferramenta importante para o fortalecimento do Estado, da construção da nação e da geopolítica na América Latina: a legislação, as políticas ou os currículos universitários mediaram o avanço da a fronteira agrícola do interior do continente. Com acesso a novas fontes de pesquisa, historiadores e pesquisadores interessados ​​em discutir como a América Latina se tornou um dos maiores produtores agrícolas mundiais em um período relativamente curto de tempo se deparam com experiências e experimentos até então desconhecidos ou inexplorados em seu potencial. Assim, o principal objetivo deste dossiê é mapear e analisar as especificidades dos programas, leis e projetos que procuraram romper com as práticas agrícolas tradicionais entre os séculos 19 e 21, criando modelos regionais, transnacionais ou globais baseados em narrativas de desenvolvimento econômico. e social.

    Assim, este dossiê interessa-se pelos trabalhos que dialoguem com as relações entre ciência, agricultura e política a partir da

    a) Projetos de desenvolvimento rural e extensão;

    b) História da ciência e agricultura;

    c) Intercâmbio de ferramentas, cursos e práticas agrícolas;

    d) Histórico de uso de agroquímicos;

    e) História de pragas e doenças;

    f) História ambiental e transformação ambiental;

    g) Experiências transnacionais em produtos agrícolas

    Para mais informações acessar o site: https://www.halacsolcha.org/index.php/halac


  • Reunião Labimha: Palestra Prof. Dr. Fábio Augusto Morales

    Publicado em 20/09/2021 às 22:16

    Olá, pessoas!

    Em nossa reunião do dia 10/09, o Prof. Fábio Augusto Morales, ministrou a palestra intitulada “Integração, insularidade e urbanismo em Delos no período helenístico (secs. II – I a.C)”, onde apresenta o desenvolvimento de sua pesquisa. Convidamos a todos e todas para darem uma conferida na palestra através de nosso canal no youtube (link abaixo).

    Resumo

    A ilha de Delos, sede do célebre santuário de Apolo – e onde, segundo o mito, o próprio deus havia nascido – converte-se no século II a.C. no principal centro do comércio do Mediterrâneo oriental. Isto se deveu a uma conjunção de fatores: a transformação da ilha em porto franco e sua incorporação à polis de Atenas, por decisão do Senado de Roma; a hostilidade romana contra Rodes, que sofreu diversas derrotas diplomáticas, e Corinto, destruída em 146 a.C.; e o aumento da presença romana no comércio oriental com a criação da província da Ásia (antigo reino de Pérgamo) em 133 a.C. Tal conversão foi acompanhada por um expressivo crescimento urbano, marcado pela construção de novos distritos residenciais, multiplicação de santuários e monumentos e construção de nova infraestrutura hídrica. O objetivo desta apresentação é explorar os modos como o urbanismo deliano se relacionou com os marcos específicos da insularidade deliana (na imbricação entre ambiente e cultura) e com os processos de integração macrorregional no contexto de rearranjo das forças geopolíticas do Mediterrâneo e no Oriente Próximo. Para isso, após um panorama com os marcos temporais na longa duração da história deliana, explorarei a articulação entre espaços singulares e a totalidade urbana, a partir de estudos de intervenções espaciais pontuais, tais como a Ágora dos Italianos e o templo de Mitrídates no santuário dos Deuses da Samotrácia. Como conclusão, discuto a especificidade do urbanismo insular deliano no período, apontando vantagens e desvantagens das posições relativas de Delos nos diferentes campos de integração helenísticos.