Laboratório de Imigração, Migração e História Ambiental
  • Agenda de eventos do semestre 2018.2

    Publicado em 13/08/2018 às 18:18

    Seminário Internacional “Migrações: perspectivas e avanços teórico-metodológicos” e XXIII Simpósio de História da Imigração e Colonização

    Como foro de discussão, o encontro promovido pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS e pelo Instituto Histórico de São Leopoldo, congrega pesquisadores dos mais diversos níveis, desde a Graduação até a Pós-Graduação, desde historiadores municipalistas à comunidade em geral. O Seminário Internacional “Migrações: perspectivas e avanços teórico-metodológicos” e XXIII Simpósio de História da Imigração e Colonização tem como foco principal propor a discussão dos conceitos de imigração e colonização em âmbito internacional. O evento ocorre de 25 a 28 de setembro de 2018 na Unisinos, em São Leopoldo (RS). Mais informações: http://www.unisinos.br/eventos/seminario-internacional-migracoes-perspectivas-e-avancos-teorico-me-ex123622-00001.

     

    5° Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações

    Neste 5° Simpósio serão tratadas várias temáticas de História Ambiental e Migrações, contemplando diferentes períodos e regiões do globo. Como uma das características da História Ambiental, o Simpósio está aberto a pesquisadores de todas as áreas do conhecimento. A língua oficial do evento é o português, mas trabalhos em espanhol e inglês serão aceitos também. As propostas devem ser submetidas através do nosso sistema online. O Simpósio acontecerá em Florianópolis (SC), na Universidade Federal de Santa Catarina, de 8 a 10 de outubro de 2018. Mais informações: http://www.labimha.com.br/5simposio/site/capa.

     

    IV Congresso Internacional História, Regiões e Fronteiras (CIHRF)

    O IV Congresso Internacional História, Regiões e Fronteiras (CIHRF) é voltado à discussão das fronteiras políticas, sociais e culturais, prevendo, em seu programa, conferências, simpósios temáticos, lançamento de livros, reuniões de trabalho e de grupos de pesquisa, além de atividades culturais. Acontece de 16 a 18 de outubro de 2018 na UPF em Passo Fundo (RS). Mais informações: https://cihrf2.wixsite.com/cihrf2018.

     

    I Seminário de Estudos Históricos da Universidade Federal do Paraná (SEH/UFPR)

    O I Seminário de Estudos Históricos da Universidade Federal do Paraná (SEH/UFPR) quer promover a reflexão acerca das dimensões constitutivas do fazer historiográfico: suas práticas, suas escritas, seus lugares sociais. Por meio de conferências, simpósios temáticos, minicursos e mesas temáticas o evento, em sua primeira edição, visa refletir sobre o fazer historiográfico na contemporaneidade. Os doutorandos do LABIMHA Darlan Damasceno, Débora Nunes de Sá e Lucas Mores irão coordenar o Simpósio Temático “História Ambiental Global: diálogos e perspectivas”. As inscrições vão até o dia 17 de agosto de 2018. O seminário ocorre de 30 de outubro a 1º de novembro de 2018 em Curitiba (PR) na Universidade Federal do Paraná. Mais informações: https://sehufpr.wixsite.com/2018.


  • Exposição revela documentos inéditos sobre alemães em Santa Catarina durante a 2ª Guerra Mundial

    Publicado em 07/08/2018 às 19:41

    O projeto “História Repatriada”, parceria entre o Laboratório de Imigração, Migração e História Ambiental (Labimha) da UFSC e o Instituto Carl Hoepcke, revela documentos inéditos sobre alemães em Santa Catarina durante a 2° Guerra Mundial. São cerca de 5 mil documentos não catalogados encontrados na Espanha e que agora chegam à Florianópolis através de uma exposição, que começa dia 8 de agosto e vai até 9 de setembro, na Biblioteca Pública de Santa Catarina, em Florianópolis.  O projeto é coordenado por Manoel Teixeira dos Santos, professor de História do Colégio de Aplicação da UFSC, doutor e pesquisador na área de imigração, e também conta com a participação dos estudantes Eduardo Kirchhoff, Fabiana Guarez e Giovana Rossi – todos integrantes do Labimha.

    “A importância desse material está no ineditismo e porque irá lançar luzes sobre a triangulação Espanha-Brasil-Alemanha entre 1942-45”, afirma João Klug, professor do Departamento de História da UFSC, vinculado ao Labimha e um dos coordenadores do projeto. Com pós-doutorado pela Freie Universität de Berlim, há 26 anos Klug se dedica à temática relativa à imigração alemã no Brasil e diz que nunca havia encontrado documentos de tal relevância. “Os papéis trazem indícios que apontam para um novo cenário que pode, a partir de pesquisas futuras mais detalhadas, mudar a historiografia local e mesmo internacional da época”, complementa Teixeira.

    Os cerca de 5 mil documentos reúnem diários, cartas, solicitações, documentos financeiros e correspondências oficiais da Embaixada, Consulado (Porto Alegre) e Vice-consulados (em Florianópolis e São Francisco do Sul) da Espanha entre 1942 e 1945. Uma das mais importantes revelações até agora é a atenção e o cuidado que os espanhóis dispensavam aos alemães no Brasil: vistos como inimigos em solo brasileiro em razão da guerra, uma parcela desses alemães foi encaminhada a centros de internação e recebeu a visita pessoal do vice-cônsul espanhol, para saber como estava sendo tratada e do que necessitava.

    Klug e Teixeira pontuam que informações como essa, reveladas a partir de uma análise preliminar dos registros, colocam um ponto de interrogação na até então conhecida neutralidade dos espanhóis durante a 2ª Guerra. “O que tínhamos como certo – uma aproximação discreta entre Espanha e Alemanha no período em questão – pode ganhar um sentido diferente a partir da inclusão do Brasil neste contexto, por meio da documentação encontrada”, argumenta Teixeira. “Outro forte indício disso é a decisão do General Franco (1892-1975), chefe do Estado Maior da Espanha, de manter esse material guardado, mas não catalogado, escondendo, assim, o teor”, completa Klug. E ambos são categóricos em afirmar que todo esse cenário abre um campo enorme de investigação científica e acadêmica a partir de agora.

    Pesquisas e consultas

    Após o cuidadoso e apurado processamento técnico, os arquivos estarão disponíveis para consultas públicas presenciais no Instituto Carl Hoepcke. “Para nós, é uma grande oportunidade e honra trabalhar com instituições de ensino e pesquisa como essas que estão envolvidas nessa proposta, que também vai ao encontro ao que promovemos aqui”, afirma Annita Hoepcke da Silva, presidente do ICH, dedicado à pesquisa e preservação da história da imigração alemã.

    “Esse material, com toda certeza, agrega muito valor ao acervo de nosso centro de memória, que se divide em três grandes grupos documentais principais: a história dos 190 anos de imigração alemã em Santa Catarina, o fundo documental do ex-governador Aderbal Ramos da Silva e parte relevante da história industrial e comercial da cidade, por meio da trajetória de Carl Hoepcke”, diz o superintende do ICH, Max Müller.

    Os arquivos foram digitalizados na Espanha e enviados ao Brasil em 13 CDs, incorporados à plataforma Acess to Memory (AtoM), utilizada pelo ICH e adaptada para a inclusão do novo material.

    Descoberta ao acaso

    Os arquivos – cerca de 40 mil documentos, condicionados em 37 caixas – foram descobertos pela professora doutora espanhola Elda Gonzales Martinez, do Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC), de Madri, quando realizava pesquisas no Arquivo Central do Governo, na cidade de Alcalá de Henares, também na Espanha, em 2015. Percebendo a importância do achado e, em visita à Unisinos de São Leopoldo, compartilhou a descoberta com os professores doutores Marcos Antônio Witt, Isabel Cristina Arendt e Maíra Inês Vendrame, todos dedicados aos estudos imigratórios. Estes, por sua vez, entraram em contato com João Klug e Manoel Teixeira, da UFSC.

    Os dois foram em oportunidades diferentes à Espanha, sendo que a tarefa de analisar detalhadamente e separar os documentos mais relevantes coube à Teixeira. Foram três meses de trabalho ininterrupto, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 14h30 (horário do funcionamento do arquivo). Além das 37 caixas, outras sete da Embaixada da Espanha no Brasil também foram investigadas. Dos 40 mil, foram selecionados 5 mil, agora digitalizados e reunidos nos 13 CDs. 

    SERVIÇOS

    O quê: Exposição “História Repatriada”.

    Quando: Abertura dia 8/8, às 19h30. Visitação de 9/8 a 8/9, de segunda a sexta, das 8 às 19h e aos sábados, das 8 às 11h45.

    Onde: Biblioteca Pública de Santa Catarina, rua Tenente Silveira, 343, Centro, Florianópolis.

    Quanto: Gratuito.

    Agendamento para visitas mediadas: agendamentogrupo@hotmail.com

    O quê: Pesquisa nos arquivos do projeto “História Repatriada”.

    Quando: A partir de 10/09, de segunda a sexta-feira, das 8 às 12h e das 14 às 18h.

    Onde: Instituto Carl Hoepcke, av. Trompowsky, 355, Centro, Florianópolis, tel.: (48) 3222-2580.

    Como: Mediante agendamento prévio.

    Assessoria de imprensa

    Carla Pessotto – (48) 9 9119-6104

     


  • O 5º Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações anuncia programação

    Publicado em 02/07/2018 às 19:41


  • LABIMHA convida para defesa de tese

    Publicado em 02/07/2018 às 19:37


  • LABIMHA convida para defesa de doutorado

    Publicado em 12/06/2018 às 14:06

    O LABIMHA convida a todos para a defesa da tese do doutorando José Nilo Diniz Bezerra, intitulada “Os Mapas que fizeram Angola: desenhos e desígnios na produção cartográfica do sul de Angola (1875-1886)”. A defesa acontecerá no dia 21 de junho, às 14h na sala 324 do CFH. A banca de avaliação é formada pelos professores João Klug (Orientador – UFSC), Jelmer Vos (University of Glasgow), Cláudia Mortari (UDESC), Ana Paula Wagner (UNICENTRO), Tiago Kramer de Oliveira (UFSC) e Paulo P. Machado (UFSC).


  • LABIMHA convida para a defesa de tese

    Publicado em 07/06/2018 às 19:00

    O LABIMHA convida a todos para a defesa da tese do doutorando Antonio José Alves de Oliveira, intItulada “Para vir a ser a mais florente de toda a América Portuguesa”: leituras do mundo natural, geografias coloniais e projeções nos sertões – Capitania do Ceará Grande (1760 – 1799)” e orientada pela professora Eunice Nodari. A defesa acontecerá no dia 21 de junho, às 14h na sala 324 do CFH.


  • LABIMHA oferece minicurso de QGis

    Publicado em 30/05/2018 às 16:30

    O LABHIMA em parceria com o Laboratório de Análise Ambiental (Laam) está organizando um minicurso sobre o QGis, que acontecerá dias 4 e 5 de junho, das 18h às 22h na sala 320 do CFH. O curso – que ainda tem 10 vagas disponíveis – será voltado para os alunos e professores de História que desejam conhecer o software para trabalhar com mapas e com sistemas de informações geográficas (sig). As inscrições devem ser feitas por meio do link.
    Como pré-requisito, cada participante deverá levar o seu próprio notebook com adaptador para tomada. Se possível, levar também extensão, pois na sala de aula há poucas tomadas disponíveis. Além disso, os inscritos devem instalar a versão do QGIS 2.18 (https://www.qgis.org/pt_BR/site/forusers/download.html) e o Google Earth.
    Os arquivos utilizados no curso serão disponibilizados em uma pasta no Google Drive, a qual disponibilizaremos o link na semana anterior ao curso.


  • Estão abertas as inscrições para o 3º Congresso Mundial de História Ambiental

    Publicado em 24/05/2018 às 13:21

    As inscrições para o 3º Congresso Mundial de História Ambiental, que tem o tema “Convergências: o sul e o norte globais na era da aceleração”, estão abertas e vão até o dia 10 de setembro.  Os interessados podem enviar propostas de trabalho nas categorias  painel, mesa redonda, trabalhos individuais e pôsteres. A língua oficial do evento é o inglês e as propostas devem ser enviadas nesse idioma. As inscrições devem ser feitas por meio do site do ICEHO.

     
    O 3º Congresso Mundial de História Ambiental ocorre de 22 a 26 de julho de 2019 em Florianópolis, na Universidade Federal de Santa Catarina. Para mais informações acesse o site 3wceh2019.floripa.br.


  • O 5º Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações oferece hospedagem solidária

    Publicado em 24/05/2018 às 12:53

    A hospedagem solidária é uma opção gratuita para quem está inscrito no 5º Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações. Moradoras/es de Floripa podem oferecer um espaço para acomodar quem vem participar do evento, o que proporciona um ambiente de troca bastante rico. As vagas são ofertadas por meio do grupo no Facebook. Para participar é só estar inscrito no evento e solicitar a participação no grupo.

    O simpósio acontecerá em Florianópolis, de 8 a 10 de outubro de 2018 na Universidade Federal de Santa Catarina.


  • Estão abertas as inscrições para o 5º Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações

    Publicado em 24/05/2018 às 12:46

    As inscrições para o 5° Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações estão abertas e vão até 20 de julho para apresentadores e até 1º de outubro para ouvintes. Quem quiser fazer uma proposta de apresentação poderá se inscrever nas categorias comunicação oral e apresentação de pôster por meio do site do evento. O simpósio acontecerá em Florianópolis, de 8 a 10 de outubro de 2018 na Universidade Federal de Santa Catarina.
    Neste 5° Simpósio serão tratadas várias temáticas de História Ambiental e Migrações, contemplando diferentes períodos e regiões do globo. Como uma das características da História Ambiental, o Simpósio está aberto a pesquisadores de todas as áreas do conhecimento. A língua oficial do evento é o português, mas trabalhos em espanhol e inglês também serão aceitos.